L Liturgia

Liturgia de 24 de dezembro de 2017 (noite)

MISSA DA NOITE DE 24
(branco, glória, creio, pref. do Natal –ofício da solenidade)

 

Antífona da entrada

 

- Alegremo-nos todos no Senhor: hoje nasceu o salvador do mundo, desceu do céu a verdadeira paz! (Sl 2,7)

Anúncio do Natal

(após o ato penitencial)

 

Transcorridos muitos séculos desde que Deus criou o mundo e fez o homem à  sua imagem, JESUS CRISTO, DEUS ETERNO E FILHO DO ETERNO PAI, querendo santificar o mundo com a sua vinda, foi concebido por obra do Espírito Santo e se fez homem; transcorridos nove meses, nasceu da Virgem Maria em Belém de Judá. Eis o Natal de nosso Senhor Jesus Cristo segundo a natureza humana. Venham, adoremos o Salvador. Ele é Emanuel, Deus conosco.

Oração do dia

 

- Ó Deus, que fizestes resplandecer esta noite santa com a claridade da verdadeira luz, concedei que, tendo vislumbrado na terra este mistério, possamos gozar no céu sua plenitude. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ªLeitura: Is 9,1-6

- Leitura do Livro do profeta Isaías: 1O povo, que andava na escuridão, viu uma grande luz; para os que habitavam nas sombras da morte, uma luz resplandeceu. 2Fizeste crescer a alegria e aumentaste a felicidade; todos se regozijam em tua presença, como alegres ceifeiros na colheita, ou como exaltados guerreiros ao dividirem os despojos. 3Pois o jugo que oprimia o povo, - a carga sobre os ombros, o orgulho dos fiscais - tu os abateste como na jornada de Madiã. 4Botas de tropa de assalto, trajes manchados de sangue, tudo será queimado e devorado pelas chamas. 5Porque nasceu para nós um menino, foi-nos dado um filho; ele traz aos ombros a marca da realeza; o nome que lhe foi dado é: Conselheiro admirável, Deus forte, Pai dos tempos futuros, Príncipe da paz. 6Grande será o seu reino e a paz não há de ter fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reinado, que ele irá consolidar e confirmar em justiça e santidade, a partir de agora e para todo o sempre. O amor zeloso do Senhor dos exércitos há de realizar essas coisas.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial: Sl 96,1-2a.2b-3.11-12.13 (R: Lc2,11)

- Hoje nasceu para nós o Salvador, que é Cristo, o Senhor.
R: Hoje nasceu para nós o Salvador, que é Cristo, o Senhor.


- Cantai ao Senhor Deus um canto novo, cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! Cantai e bendizei seu santo nome!

R: Hoje nasceu para nós o Salvador, que é Cristo, o Senhor.


- Dia após dia anunciai sua salvação, manifestai a sua glória entre as nações, e entre os povos do universo seus prodígios!

R: Hoje nasceu para nós o Salvador, que é Cristo, o Senhor.


- O céu se rejubile e exulte a terra, aplauda o mar com o que vive em suas águas; os campos com seus frutos rejubilem e exultem as florestas e as matas

R: Hoje nasceu para nós o Salvador, que é Cristo, o Senhor.


- Na presença do Senhor, pois ele vem, porque vem para julgar a terra inteira. Governará o mundo com justiça, e os povos julgará com lealdade.

R: Hoje nasceu para nós o Salvador, que é Cristo, o Senhor.

2ª Leitura: Tt 2,11-14

- Leitura da Carta de São Paulo a Tito: Caríssimo: 11A graça de Deus se manifestou trazendo salvação para todos os homens. 12Ela nos ensina a abandonar a impiedade e as paixões mundanas e a viver neste mundo com equilíbrio, justiça e piedade, 13aguardando a feliz esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo. 14Ele se entregou por nós, para nos resgatar de toda maldade e purificar para si um povo que lhe pertença e que se dedique a praticar o bem.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

 - Eu vos trago a boa-nova de uma grande alegria: é que hoje vos nasceu o Salvador, Cristo, o Senhor (Lc 2,10)

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas: Lc 2,1-14

- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Lucas.

- Glória a vós, Senhor!  

- 1Aconteceu que, naqueles dias, César Augusto publicou um decreto, ordenando o recenseamento de toda a terra. 2Este primeiro recenseamento foi feito quando Quirino era governador da Síria. 3Todos iam registrar-se cada um na sua cidade natal. 4Por ser da família e descendência de Davi, José subiu da cidade de Nazaré, na Galileia, até a cidade de Davi, chamada Belém, na Judeia, 5para registrar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida. 6Enquanto estavam em Belém, completaram-se os dias para o parto, 7e Maria deu à luz o seu filho primogênito. Ela o enfaixou e o colocou na manjedoura, pois não havia lugar para eles na hospedaria. 8Naquela região havia pastores que passavam a noite nos campos, tomando conta do seu rebanho.
9Um anjo do Senhor apareceu aos pastores, a glória do Senhor os envolveu em luz, e eles ficaram com muito medo. 10O anjo, porém, disse aos pastores: “Não tenhais medo! Eu vos anuncio uma grande alegria, que o será para todo o povo: 11Hoje, na cidade de Davi, nasceu para vós um Salvador, que é o Cristo Senhor. 12Isto vos servirá de sinal: Encontrareis um recém-nascido envolvido em faixas e deitado numa manjedoura”. 13E, de repente, juntou-se ao anjo uma multidão da coorte celeste. Cantavam louvores a Deus, dizendo: 14“Glória a Deus no mais alto dos céus, e paz na terra aos homens por ele amados”.

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!  

 

 

Liturgia comentada
Não havia lugar para eles... (Lc 2,1-14)

Uma família pobre em trânsito. O homem que vem até Belém, obedecendo à ordem de César, para ser recenseado entre os membros do clã de Davi. A jovem mulher está nos últimos dias de sua gravidez. O bebê ignorado que vai nascer é... o Filho de Deus...

E não há lugar para eles. A hospedaria está realmente lotada. O grande afluxo de viajantes ocupou todos os lugares. Entretanto, seria mesmo uma atitude falsa e farisaica de nossa parte lamentar que não tenha havido um lugar para eles, se também nós ainda não abrimos um espaço para o Menino em nosso coração...

Sempre foi assim. Desde Belém até Washington, Jesus Cristo sempre se mostra um tanto apartado do mundo, um tanto deslocado no universo dos poderes e dos ganhos materiais. Afinal – ele mesmo garante – o seu reino não é deste mundo.

O verdadeiro “lugar” que Jesus espera encontrar é completamente outro: o coração dos homens. Talvez, um espaço nas famílias. Quem sabe, um cantinho nas oficinas. Seria pedir demais: uma pequena brecha nas estruturas sociais e econômicas?

Os pastores de Belém, malcheirosos e despenteados, acharam um lugar para Jesus. Ao convite dos anjos, acorreram com seus cães e seus cajados. Por isso mesmo, mereceram ouvir o coral celeste que oferecia paz à terra dos homens.

“É ali que estão a hora de Deus e o lugar de Deus sobre a terra. Ali onde a terra se descentra em relação a si mesma, para abrir-se sobre um cantinho de céu, na exultação e no louvor, e na paz de um amor ao qual, enfim, ela consente abandonar-se.”

Estas são palavras do monge cisterciense André Louf, que ainda acrescenta: “A noite de Natal descentra também a nós. Importa que, nesta noite, nos deixemos transformar pelo Menino que vem, para não sermos encontrados em outra parte, no momento em que Deus vem participar o seu Amor: aqui mesmo, onde um passado de 20 séculos se faz presente, onde a terra e o céu se tocam em uma noite: no Céu, glória a Deus; na terra, paz aos homens que Ele ama”.

Orai sem cessar: “O Verbo se fez carne e acampou entre nós.” (Jo 1,14)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos