L Liturgia

Liturgia de 11 de julho de 2018

QUARTA FEIRA - SÃO BENTO ABADE E PAI DOS MONGES
(branco, pref. comum ou dos santos - ofício da memória)

Antífona da entrada

- Senhor, porção de minha herança e minha taça, tendes em mãos o meu destino; coube-me por sorte a boa parte; sim, é bela a herança que me cabe!  (Sl 15,5).

Oração do dia

- Ó Deus, que fizestes o abade são Bento preclaro mestre na escola do vosso serviço, concedei que, nada preferindo ao vosso amor, corramos de coração dilatado no caminho dos vossos mandamentos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: Os 10,1-3.7-8.12

- Leitura da Profecia de Oséias: 1Israel era uma vinha exuberante e dava frutos para seu consumo; na medida de sua produção, erguia os numerosos altares; na medida da fertilidade da terra, embelezava seus ídolos. 2Com o coração dividido, deve agora receber castigo; o Senhor mesmo derrubará seus altares, destruirá os seus simulacros. 3Decerto, dirão agora: “Não temos rei; não temos medo do Senhor. Que poderia o rei fazer por nós?” 7Samaria está liquidada, seu rei vai flutuando como palha em cima da água. 8Será desmantelada a idolatria dos lugares altos, pecado de Israel; ali crescerão espinhos e abrolhos sobre seus altares; então se dirá aos montes: “Cobri-nos!” e às colinas: “Caí sobre nós!” 12Semeai justiça entre vós, e colhereis amor; desbravai uma roça nova. “É tempo de procurar o Senhor, até que ele venha e derrame a justiça em vós”.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 105,2-3.4-5.6-7 (R: 4b)

 

- Buscai constantemente a face do Senhor!

R: Buscai constantemente a face do Senhor!


- Cantai, entoai salmos para ele, publicai todas as suas maravilhas! Gloriai-vos em seu nome que é santo, exulte o coração que busca a Deus!

R: Buscai constantemente a face do Senhor!


- Procurai o Senhor Deus e seu poder, buscai constantemente a sua face! Lembrai as maravilhas que ele fez, seus prodígios e as palavras de seus lábios!

R: Buscai constantemente a face do Senhor!


- Descendentes de Abraão, seu servidor, e filhos de Jacó, seu escolhido, ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus, vigoram suas leis em toda a terra.

R: Buscai constantemente a face do Senhor!

 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

- Convertei-vos e crede no evangelho, pois o reino de Deus está chegando!  (Mc 1,15).

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 10,1-7

 

- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus

- Glória a vós, Senhor!   

 

- Naquele tempo, 1Jesus chamou os doze discípulos e deu-lhes poder de expulsar os espíritos maus e de curar todo tipo de doença e enfermidade. 2Estes são os nomes dos doze apóstolos: primeiro, Simão chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João; 3Filipe e Bartolo­meu; Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; 4Simão, o Zelota, e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus. 5Jesus enviou estes Doze, com as seguintes recomendações: “Não deveis ir aonde moram os pagãos, nem entrar nas cidades dos samaritanos! 6Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! 7Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’”.

 

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

Liturgia comentada
E deu-lhes poder... (Mt 10,1-7)

Jesus não confiaria aos apóstolos uma missão entre lobos sem os revestir do necessário poder. O Mestre sabia que o mundo é dominado por um “príncipe” disposto a tudo para manter na escravidão aqueles que o Pai destinava à filiação divina.

Dietrich Bonhoeffer reflete sobre este poder:

“Não se trata apenas de uma palavra, uma doutrina, mas é um poder eficaz que os apóstolos recebem”. Deve ser um poder maior que o poder daquele que domina a terra: o diabo. Os discípulos bem sabem que o diabo tem poder, ainda que a astúcia dele seja exatamente a de negar o seu poder e dar aos homens a ilusão de que ele não existe.

Ora, é justamente esta manifestação tão perigosa de seu poder que importa atingir. É preciso que o diabo seja posto à luz do sol e vencido pelo poder de Jesus Cristo. Assim, os apóstolos se enfileiram ao lado do próprio Jesus, pois é a obra dele que devem ajudá-lo a realizar.

Assim, para essa missão, Jesus não lhes nega também o dom mais elevado, que consiste em ter parte no seu poder sobre os espíritos impuros, sobre o diabo que se apoderou da humanidade. Nessa missão, os apóstolos se tornaram semelhantes a Cristo. “Eles realizam as obras de Cristo.”

Seria extremo infantilismo acreditar que a decadência generalizada das sociedades humanas pudesse ser sanada através de bons conselhos. A própria consciência coletiva se encontra obturada por uma enxurrada de hábitos, modismos e contravalores, hoje assimilados neutramente por grande parte da massa humana. A regeneração humana exige uma participação no poder de Cristo.

E não podemos queixar-nos, pois ele se manifesta aqui e ali, sem reservas. O próprio Bonhoeffer, que lemos acima, manifestou esse poder quando se insurgiu contra a hidra nazista e não cedeu um milímetro em sua missão evangelizadora, acabando como mártir nos cárceres da tirania.

É esse mesmo poder que inspira Dom Bosco a se dedicar aos pivetes, ainda que acusado por outros padres de estar desonrando o clero ao se misturar àquela “gentinha”. As atitudes do Papa Francisco, assumindo modelos “franciscanos” no Vaticano, revela aquela liberdade que o mundo pagão desconhece. É preciso poder para abraçar a pobreza e a obediência a Deus.

Orai sem cessar: “O Senhor é meu escudo e salvação!” (Sl 18,3)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos